O que é moeda e mercado descentralizado?

Moeda descentralizada, dinheiro ponto a ponto e moeda digital referem-se a métodos sem bancos de transferência de riqueza ou propriedade de qualquer outra mercadoria sem a necessidade de terceiros. 

A maioria dos mercados centralizados e alguns descentralizados usam moeda fiduciária – ou dinheiro físico emitido por um banco central, como dólares americanos. A moeda descentralizada é usada principalmente nos mercados virtuais. 

Dois exemplos de moeda descentralizada são o bitcoin - a "cunhagem" usada na plataforma Bitcoin - e o éter - usado no Ethereum.

O que é um mercado descentralizado?

Em um mercado descentralizado, a tecnologia permite que os investidores negociem diretamente uns com os outros, em vez de operar dentro de uma bolsa centralizada. Os mercados virtuais que usam moeda descentralizada, ou criptomoedas, são exemplos de mercados descentralizados.

Como funcionam os mercados descentralizados?

Um mercado descentralizado usa vários dispositivos digitais para comunicar e exibir preços de compra/venda em tempo real. Dessa forma, compradores, vendedores e revendedores não precisam estar localizados no mesmo local para negociar títulos.

PRINCIPAIS CONSIDERAÇÕES

Um mercado descentralizado contém tecnologia digital, que permite que compradores e vendedores de títulos negociem diretamente entre si, em vez de se encontrarem em uma bolsa tradicional.

Um exemplo comum de mercado descentralizado é o imobiliário, onde os compradores lidam diretamente com os vendedores.

Um exemplo mais recente são os mercados virtuais e o sistema blockchain, que usam criptomoedas.

Exemplos de mercados descentralizados

Mercado Forex

O mercado de câmbio (forex) é um exemplo de mercado descentralizado porque não há um local físico onde os investidores vão comprar e vender moedas. Os comerciantes de Forex podem usar a internet para verificar as cotações de moedas de vários negociantes do mundo.

Imobiliário 

Os imóveis são tradicionalmente vendidos por meio de um mercado descentralizado, em que compradores e vendedores concluem suas transações sem antes canalizar o processo por meio de uma câmara de compensação.

Tipos de títulos

Alguns títulos e produtos securitizados também podem ser adquiridos por meio de mercados descentralizados.

Os mercados virtuais

O advento da tecnologia blockchain e da criptomoeda criou mais oportunidades nas quais os mercados descentralizados podem operar. Normalmente, os mercados virtuais não são regulamentados, o que seus proponentes acreditam ser uma coisa boa. 

A tecnologia e os meios – como moeda descentralizada – de um mercado virtual proporcionam aos investidores uma sensação de segurança e confiança em suas transações.

O crescimento dos mercados que usam as moedas descentralizadas para transações financeiras levou a discussões sobre formas de introduzir regulamentação potencial. Se isso ocorrer, os fãs de mercados virtuais podem ver isso como uma diminuição de seus benefícios atuais percebidos de anonimato e controle direto de suas transações.

Vantagens e desvantagens dos mercados descentralizados

Vantagens

Alguns acreditam que os mercados descentralizados podem reduzir bastante os hackers porque não há um único recurso de dados que eles possam tentar se infiltrar; embora recentemente isso tenha se provado falso.

Os mercados descentralizados podem permitir a transparência entre as partes, especialmente se usarem tecnologia que garanta que todas as partes compartilhem dados e informações mutuamente acordados.

Muitos usuários dos mercados virtuais descentralizados percebem sua falta de supervisão regulatória como um benefício – ou liberdade de manipuladores terceirizados. A ausência de intermediários pode resultar em custos de transação mais baixos do que em mercados regulamentados.

Desvantagens

Uma desvantagem dessa falta de supervisão, no entanto, pode ser que não há autoridades governamentais para monitorar transações, oferecer assistência ou fornecer uma estrutura legal.

À medida que mais transações financeiras são realizadas por meio de mercados descentralizados, elas podem representar desafios para os reguladores e a aplicação da lei. Em comparação, os mercados centralizados dão aos reguladores um caminho claro para agir, se necessário, em relação a negociações que possam ser suspeitas.